spot_imgspot_img

LEIA MAIS NOTÍCIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

spot_img
spot_imgspot_img

Lula faz reunião com parlamentares nesta quinta-feira

Mais lidas

Nesta quinta-feira (10) o presidente eleito no Brasil no domingo (30), se reuniu com parlamentares de bancadas aliadas. O encontro aconteceu no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), em Brasília.

O político explica que quer manter o diálogo aberto com o Congresso Nacional e com os outros partidos políticos.

“Cada deputado pode ficar certo que vamos conversar com o Congresso Nacional. O Congresso tem todos os defeitos que cada um de nós têm, mas esse país era muito pior quando tinha o Congresso fechado”, disse, em referência ao período da ditadura militar. “É melhor um debate nervoso das divergências nossas, do que o silêncio profundo do medo da baioneta que esse país já enfrentou”, afirmou o presidente.

Lula reforçou, novamente, que a definição dos nomes que coordenarão a transição não significa a ocupação de cargos ou de ministérios no próximo governo e pediu a colaboração de todos no envio de propostas e ideias. “Se alguém quiser contribuir, mandar proposta, por favor, não se sintam excluídos porque não estão na lista de pessoas que estão participando da transição”, disse aos parlamentares. “Cada partido tem um papel importante, estamos começando um processo”, completou.

Na última quarta-feira (9), Lula também encontrou com os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

O encontro também contou com ministros do Supremo Tribunal Federal e do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes.

“Estamos aqui para provar que queremos estabelecer um diálogo entre os partidos políticos”, disse.

O presidente eleito afirmou que quer garantir estabilidade, credibilidade e previsibilidade ao Estado brasileiro. Em seguida, disse que o Brasil voltará a ser protagonista na geopolítica mundial.

Durante seu discurso, Lula falou diretamente com os manifestantes que estão inconformados com o resultado eleitoral e pediu para que aceitem a democracia. O presidente eleito afirmou que seu governo será “para todos”.

“Democracia é isso, um ganha e outro perde, é assim em qualquer política”, explica Lula.

*estagiária sob supervisão de Lucas Nunes

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas noticias