spot_imgspot_img

LEIA MAIS NOTÍCIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

spot_img
spot_imgspot_img

Alemã diz ser Madeleine McCann, menina desaparecida há 16 anos

Mais lidas

Nesta semana, uma jovem alemã chamada Julia Faustyna pede exame de DNA e exibe “evidências” de que é Madeleine McCann, garota desaparecida desde 2007 que comove o mundo até hoje. Conhecida pelo arroba “iammadeleinemcann” no Instagram, a loira de 21 anos compartilhou um vídeo que causou movimentações nas redes sociais ao dizer que “um comentário” de sua avó comparando-a a Madeleine a fez pensar na possibilidade.

“Ajudem-me, preciso de falar com a Kate e o Gerry McCann. Acho que posso ser a Madeleine. Preciso de um teste de DNA”, diz Julia Faustyna no vídeo em recado aos pais da garota.

Sem fundamento, a alemã ainda divulgou fotos de quando era criança, mostrando “semelhanças” com a vítima.

Foto: Reprodução

O caso do desaparecimento de Madeleine ocorreu na Praia da Luz, em Portugal, quando tinha apenas 3 anos. O caso repercutiu no mundo todo e após extensas investigações policiais, o corpo da menina nunca foi encontrado.

A menina estava em um hotel com os seus irmãos gêmeos, então com dois anos. Os pais, Kate e Gerry McCann, foram jantar do restaurante da hospedagem e quando voltaram Madeleine havia sumido.

O caso sofreu uma reviravolta quando a polícia alemã apresentou um suspeito de sequestrar e assassinar Madeleine. Ele está preso na Alemanha e cumpre pena por tráfico de drogas. Christian Brueckner, de 43 anos, que já havia sido condenado por abuso sexual de crianças, foi preso por ser o possível autor do crime. As autoridades alemãs afirmam ter provas do homicídio de Madeleine.

Ainda de acordo com as autoridades, o suspeito residia próximo do hotel em que a menina foi vista pela última vez. Christian foi acusado formalmente pela justiça em abril de 2022 pelo homicídio de Madeleine.

*Estagiário sob a supervisão de Raquel Morais

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas noticias