spot_imgspot_img

LEIA MAIS NOTÍCIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

spot_img

Hospital de Angra dos Reis começa a efetuar cirurgias médicas por vídeo

spot_imgspot_img

Mais lidas

A equipe médica do Hospital Municipal da Japuíba (HMJ) deu início na última quarta-feira, 26, às cirurgias efetuadas por vídeo, procedimento de alta tecnologia que oferece uma recuperação mais rápida aos pacientes a partir de um procedimento menos invasivo.

Primeiramente, as cirurgias da área urológica serão feitas com a utilização da tecnologia por vídeo. Ao longo do ano, outras áreas médicas vão realizar operações utilizando a mesma técnica, que consiste numa cirurgia menos invasiva. São feitos três “furinhos” no paciente, que fica apenas um dia internado. Em duas semanas ele já volta a trabalhar, com possibilidade de complicações muito menores.

“É um procedimento que, além de oferecer melhor qualidade de vida ao paciente, também oferece menor morbidade, tempo de internação e custo hospitalar. É uma tecnologia que já existe em hospitais particulares e, no SUS, vem crescendo. Hoje, numa cirurgia de vesícula, que é uma operação aberta, o paciente leva 60 dias para voltar a trabalhar”, explica o diretor médico Gustavo Villa.

Secretários municipais, profissionais do HMJ e o prefeito Fernando Jordão reuniram-se na unidade, na manhã de ontem, para acompanhar a realização do novo procedimento e conversar sobre a área no maior símbolo da saúde de Angra dos Reis.

“Estamos muito satisfeitos com a evolução da saúde em Angra. Estamos avançando cada vez mais, e vamos seguir investindo, pois precisamos levar saúde de qualidade, principalmente aos moradores que não têm plano de saúde”, ressalta o secretário de Governo e Relações Institucionais, Cláudio Ferreti.

A Prefeitura de Angra, por meio da Secretaria de Saúde, está licitando os materiais específicos para efetuar cirurgias por vídeo em outras especialidades médicas. Depois das cirurgias urológicas o HMJ passará a oferecer cirurgias abdominais, ginecológicas e neurocirurgias. Num segundo momento, possivelmente, no início de 2024, começarão a ser feitas as cirurgias bariátricas com essa tecnologia.

Biópsias guiadas por ultrassom

Outros procedimentos que geravam uma demanda muito grande no município, e agora já estão sendo realizados no HMJ, são as biópsias, inclusive, aquelas que são guiadas por ultrassom.

A cidade já contava com o Centro Oncológico Christiane Jordão, mas necessitava de uma ampliação relacionada à capacidade de diagnóstico, já que os pacientes eram enviados ao Rio de Janeiro, para tratamento fora de domicílio. A compra do aparelho de ultrassom de última geração, no final de 2022, e a contratação de profissionais deu início à realização dos procedimentos no município, que hoje, somam um volume de 40 biópsias ao mês.

“Todo incremento que a gente faz no nosso parque tecnológico com equipamentos de saúde, principalmente aqui no HMJ, favorece demais uma relação de economia, agilidade nas filas e a qualidade relacionada ao serviço que é feito para o usuário. Em relação às biópsias guiadas por ultrassom, elas vão favorecer que os pacientes cheguem ao oncologista o mais rápido possível e que recebam diagnósticos com agilidade, favorecendo o sucesso do tratamento”, declara o secretário de Saúde, Glauco Fonseca.

Aguardando cirurgia para retirada de bolsa de colostomia no HMJ, o aposentado Severino Ramos, de 66 anos, morador do Parque Mambucaba, falou sobre o tratamento que vinha recebendo no hospital enquanto aguardava pelo procedimento.

“Desde que cheguei não tenho nada a reclamar. Fui muito bem atendido por toda a equipe do hospital. Já fiz três cirurgias aqui e hoje farei mais uma. Nota 10 para todos os funcionários do HMJ. O hospital é ótimo”, resume o aposentado.

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas noticias